Mudança Residencial: quais as 5 principais dúvidas nessa hora?

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

mudança residencial

Depois de muitos anos no mesmo endereço, a mudança residencial pode ser a única alternativa para famílias que buscam um novo local mais próximo ao trabalho ou com mais espaço, dependendo do caso. Atender às novas necessidades da família deve ser o principal foco da nova residência. Durante a mudança, é comum que surjam milhares de dúvidas, mas, a maioria delas pode ser sanada com bom planejamento. Saiba como.

1. Por onde começar?

Ter em mente que é preciso fazer um calendário para seguir até o dia da mudança vai ajudar a diminuir a ansiedade e organizar tudo o que é preciso. Faça uma estimativa de tempo até a data da mudança e comece a dividir as tarefas. A primeira deve ser livrar-se daquilo que não serve mais. É o momento de abrir o guarda-roupas e livrar espaço. Faça doações e revenda aquilo com potencial de lucro. Com o passar dos dias, comece a empacotar as coisas que usa menos e vá deixando tudo nomeado em caixas conforme o cômodo. No dia da mudança tudo deve estar empacotado e identificado para o transporte.

2. Devo empacotar tudo?

Durante a mudança residencial é bom ter a mão coisas pessoais e pequenas provisões para emergências. Faça uma pequena mala com uma muda de roupas e seus objetos pessoais. Conserve sempre por perto e não despache com a transportadora. Caso vá precisar ir ao trabalho ou levar as crianças para o colégio, deixe os materiais necessários para fora. Não se esqueça de ter em mãos também itens de higiene pessoal como papel higiênico, escova e pasta de dentes e uma toalha de banho para cada membro da família.

mudança residencial

3. O que fazer com as correspondências, jornais e revistas?

Os serviços de correspondências devem ser avisados sobre a mudança residencial com cerca de um mês de antecedência. O mesmo vale para instituições que enviam cartas como bancos e setores de serviço. Apesar da facilidade de cadastrar as contas em débito automático e não ser mais necessário ter em mãos o boleto bancário, ainda assim as correspondências são entregues no endereço cadastrado e é desagradável para o novo proprietário ter que devolver tudo ao correio ou ligar para avisar que novas correspondências chegaram. Avise todas as instituições onde a família possui cadastro sobre a mudança, para evitar que isso aconteça.

4. Vou poder reaproveitar todos os móveis?

Para saber se tudo o que se tem na casa antiga vai caber na casa nova, é preciso, antes da mudança residencial, medir todos os móveis e os cômodos do novo local. Tente planejar cada cômodo com os móveis já existentes e analise a possibilidade de adaptar o que já possui as condições necessárias. Por vezes, reformar a mobília costuma sair mais em conta que comprar nova. Esse método também vai ajudar a saber se algum móvel precisará ser vendido ou descartado.

5. Durante a mudança residencial alguns itens sobram. O que fazer?

Se alguma parte da mobília ficou de fora ou se é necessário armazenar por algum tempo móveis e outros objetos, a solução pode ser levar tudo isso para um self storage. Esses locais, além de servirem como modernos guarda-móveis podem servir para armazenar qualquer tipo de objetos. Para quem precisa de um local apenas até se ajeitar na nova casa para aí dar destino às coisas que ficaram de fora, esses locais podem oferecer essa alternativa por custos baixos e garantias atrativas.

Quer saber mais dicas para a mudança residencial? Veja outras informações em nosso outro artigo.

Comentários no Facebook

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×